Conheça sua doença

O que é Asma?

1. O que é asma?

A asma é uma doença inflamatória dos brônquios, que são as vias que levam o ar aos pulmões. Trata-se de uma doença sem causa definida e não transmissível. A inflamação dos brônquios leva a um estreitamento que dificulta a passagem de ar. Existem três mecanismos para esta dificuldade: inchaço, contração dos músculos ao redor dos brônquios e aumento da quantidade de secreção (escarro).

O processo inflamatório deixa os brônquios mais sensíveis, fazendo com que eles possam se fechar  em contato com mofo, fumaça de cigarro e  cheiros fortes.

A asma acomete pessoas de todas as idades. A cada 100 adultos, estima-se que seis ou sete tenham asma. Entre as crianças, este número é de dez a cada 100.


2. Quais são os sintomas da asma?

Os sintomas da asma são: falta de ar, abafamento no peito, tosse seca e chiado no peito. O paciente com asma pode apresentar todos esses sintomas simultaneamente ou apenas um deles. Os sintomas da asma podem ser diários, nos casos mais graves da doença, ou mensais e até mesmo anuais,
nos casos em que a doença é mais leve.


3. Como é feito o diagnóstico da asma?

O diagnóstico da asma é feito pelo médico pneumologista. O exame complementar mais solicitado para confirmar esta doença é a espirometria. Trata-se de um exame não invasivo e indolor que avalia a função pulmonar através da medida do fluxo e da quantidade de ar colocado para fora dos pulmões durante a expiração. Para isso, o paciente deve respirar pela boca através de um tubo conectado ao aparelho.


4. Como é o tratamento da asma?

Apesar de a asma não ter cura, é uma doença que tem um tratamento muito eficaz, capaz de controlar totalmente os sintomas e impedir uma má evolução do paciente.

O tratamento da asma é baseado na educação sobre a doença, incluindo os fatores desencadeantes das crises, e o uso correto dos medicamentos inalatórios – as “bombinhas”.

As “bombinhas” são dispositivos que permitem que o paciente receba a medicação diretamente onde a doença está: nas vias que levam o ar aos pulmões. Por isso, esses medicamentos têm menos efeitos colaterais e mais eficiência. Dois grupos de medicamentos podem ser usados: aqueles que dilatam os brônquios (broncodilatadores) e aqueles que reduzem o processo inflamatório.

As “bombinhas” não causam dependência e não fazem mal ao coração. 


Para mais, esclarecimentos, consulte um pneumologista!


Referência bibliográfica 

Comissão de Asma da SBPT, Grupo de Trabalho das Diretrizes para Asma da SBPT. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma – 2012. J Bras Pneumol. 2012;38(supl.1):S1-S46